sábado, 3 de março de 2012

Raça de CAMPEÃO!


...-2 - FCPORTO-3
Marcadores: Hulk (7m), James (64m) e Maicon (87m).


Liga portuguesa, 21.ª jornada
2 de Março de 2011
Estádio da Luz, em Lisboa
Assistência: 18.313 espectadores


FC PORTO: Hélton; Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Lucho González; Hulk (cap.), Janko e Djalma.
Substituições: James por Rolando (58m), Kléber por Moutinho (86m) e Sapunaru por Hulk (90m+3).
Não utilizados: Bracali, Cristian Rodríguez, Alex Sandro e Defour.
Treinador: Vítor Pereira.


Raça, querer e vontade de vencer, isto sim é o meu FUTEBOL CLUBE DO PORTOOOO. 

Mais uma grande alegria, ontem conseguimos calar e apagar mais uma vez o galinheiro da luz. Mostrámos porque somos os melhores, e porque somos os Campeões de Portugal.


Num jogo praticamente todo dominado por nós, à excepção de vinte minutos de superioridade do adversário, soubemos reagir a todas as adversidades e conseguimos vencer uma equipa de fanfarrões mimados, arrogantes  e caceteiros. E como a arrogância paga-se caro, nós com a nossa humildade fomos melhores.


Campeões Nacionais um a um:

Helton 6
Fez a primeira defesa aos 13', o que num clássico na Luz diz alguma coisa… Aos 23', mergulhou para impedir o empate a Cardozo e, pouco depois, segurou um cabeceamento de Aimar. No 1-1 nada podia fazer, assim como no 2-1, que, aliás, pareceu adivinhar, tal a forma veemente como pediu aos companheiros para se posicionarem antes do livre apontado por Aimar. Até ao fim, só precisou de dar uma sapatada num cruzamento.
Maicon 8
Vítor Pereira insistiu nele no lado direito da defesa, onde teve pela frente Nolito, tendo ganho aos pontos. Concentradíssimo e bem posicionado, funcionou muitas vezes como terceiro central, acudindo aos fogos que Rolando e Otamendi não conseguiam apagar. Aos 58', fixou-se em definitivo na área e Cardozo quase que desapareceu. A aposta Vítor Pereira foi arrojada, ao recuar Djalma para lateral para colocar James no ataque, mas foi o brasileiro a fechar a contagem num bom golpe de cabeça em antecipação a Artur.
Rolando 5
Foi o principal responsável pela marcação a Cardozo e os dois golos do paraguaio justificam uma nota menos elevada do que a dos companheiros. Aos 21', viu um amarelo por agarrar o avançado do Benfica. Saiu aos 58', uma novidade, até porque não estava, aparentemente, tocado.
Otamendi 6
Parece talhado para jogos desta intensidade porque é fortíssimo fisicamente e privilegia a antecipação. Foi assim que roubou muitas bolas, mas também perdeu alguns duelos: um com Cardozo, aos 35', que quase deu golo. No 1-1 ficou a sensação se devia, pelo menos, ter tentado atacar a bola...
Álvaro Pereira 6
Teve mais problemas com Maxi Pereira, que lhe arrancou um amarelo, do que com Gaitán. Não subiu tanto como lhe é habitual e os poucos cruzamentos que efetuou não tiveram qualquer perigo. Mas os remates assustaram Artur. Aos 31', atirou por cima e aos 36' esteve bem perto de fazer o 2-0. Noutra boa iniciativa, já na segunda parte, levou tudo à frente até descobrir Hulk sozinho na direita.
Fernando 7
Principal responsável pelo apagão de Aimar enquanto este esteve em campo, obrigando-o quase sempre a jogar de costas para a baliza. Com uma excelente leitura de jogo, adivinhou um passe mal feito dos encarnados e recuperou a bola que entregou em Hulk para o 1-0. Os "estragos" continuaram na segunda parte com a assistência para o 2-2 de James e muitos, mas mesmo muitos, cortes e interceções.
João Moutinho 7
Impôs os ritmos, ora acelerando, quando tinha espaço para isso, ora travando a circulação, sempre com passes certos, por mais apertado que estivesse. Não se assustou com o físico de Witsel e fartou-se de lhe ganhar bolas. Aos 38', apontou um livre direto que ainda bateu na barra da baliza de Artur.


Lucho 7
Respondeu a Jorge Jesus com uma grande exibição. Não correu quilómetros, é certo, mas foi fundamental para a entrada "à dragão": taticamente perto da perfeição, foi a sua pressão a Garay e Javi García que impediu que o Benfica saísse em ataque organizado. A forma como isolou Janko (36') é de quem joga com inteligência.
Hulk 7
O Incrível fez o quinto golo ao Benfica, o terceiro na Luz, e só precisou de sete minutos para o fazer. Emerson deu-lhe espaço e Hulk "agradeceu-lhe" com uma bomba de fora da área que quase furou as redes. Depois, ainda o expusou… Estava em jejum há seis jogos, mas a regra cumpriu-se e faturou ao sétimo. Não foi brilhante e até perdeu muitas bolas, mas colocou sempre em sentido dois defensores do Benfica.
Djalma 7
Ganhou um lugar no onze por culpa das seleções, que levaram os dois Rodríguez, e ainda pela lesão de Varela. Aposta acertadíssima de Vítor Pereira, ainda que não tenha criado grandes desequilíbrios: viu um remate intercetado e ganhou um livre em zona perigosa. Aos 28´, agarrou Aimar à saída do meio-campo e viu um amarelo que não o condicionou em campo. Nem quando recuou para lateral-direito. Aliás, aí, aproveitou o pouco trabalho que teve e o espaço que lhe apareceu pela frente para boas arrancadas. Numa delas quase surpreendeu Artur.
Janko 5
Travou um autêntico duelo de gigantes com Luisão e dispôs apenas de uma ocasião para marcar, só que não conseguiu desviar a bola do alcance de Artur e fazer, na altura, o 2-0. Trabalhou bem fora de área, servindo como referência nos passes longos, segurando a bola e tocando-a de imediato para os companheiros. Deu ajuda que pôde na defesa, porém foi ele quem colocou Cardozo em jogo no lance do 1-1.
James 8
Meia hora em campo absolutamente arrebatadora. "Jet-lag"? Cansaço? Dois jogos em 58 horas? Venham eles, que o miúdo aguenta. El Bandido chegou de manhã a Lisboa vindo de Miami, dormiu umas horitas, e nem deve ter tido tempo para sonhar com um clássico assim. Seis minutos depois de entrar, correu trinta metros com ela controlada, tocou curto para Fernando e foi buscar mais à frente antes de bater Artur. Estava feito o empate. O recital prosseguiu com um remate por cima e uma passe fantástico a deixar Dalma completamente só na direita. E foi aí, nesse lado, que trocou as voltas as Gaitán que só o parou recorrendo à falta. James assumiu a marcação e colocou a bola direitinha na cabeça de Maicon para o 3-2 final.
Kléber -
Nova aposta arrojada de Vítor Pereira, colocando o brasileiro ao lado de Janko, num claro sinal de que queria vencer na Luz. Kléber não marcou, mas serviu de talismã porque, no minuto seguinte, o FC Porto fez o terceiro.
Sapunaru -
Entrou nos descontos para acrescentar centímetros à defesa e, sobretudo, queimar mais alguns segundos.


Melhor jogador em campo



Video do jogo




O PORTO SOMOS NÓS!
Since 2007

2 comentários:

Armando Pinto disse...

Que bem estar senti ao acordar hoje de manhã, depois de uma, mais uma alegria... da noite anterior! (eh, eh, eh) É por estas que a vida ainda tem coisas boas.
http://longara.blogspot.com/

Anónimo disse...

Preciso da vossa ajuda, será que podem meter gosto nesta página?

http://www.facebook.com/QuadroTatico

Temos também um fórum, criado há pouco mas com muitas mensagens, passem por lá:

http://w11.zetaboards.com/QuadroTatico/index/

Curiosidades.

Sobre a grandiosidade internacional:



O FC Porto é o único clube português que faz parte do Grupo G-14, o grupo dos clubes mais poderosos da Europa.



Segundo o "Worldwide Historical Clubs Ranking", o Futebol Clube do Porto é considerado o maior clube português, o 10º maior da Europa e o 20º maior do Mundo.



O FC Porto é o clube europeu com mais títulos no século XXI. Entre campeonatos, taças, supertaças e troféus internacionais, os portistas solidificaram uma hegemonia que não encontra rival à altura nos 25 países mais cotados da UEFA.



O FC Porto soma 14 títulos só no século XXI, Bayern de Munique e Liverpool com 10 cada um são os mais próximos. O FC Porto é o clube português com mais títulos internacionais, o 3º da Península Ibérica, o 9º da Europa e o 15º do Mundo (ver Ranking Mundial de Títulos).



O FC Porto é o clube português com mais participações na Liga dos Campeões com o formato actual falhando apenas na época 1994-95, e na época 2002-03, quando venceu a Taça UEFA.



O FC Porto tem um dos melhores registos mundiais de invencibilidade nas competições internacionais, em casa, 29 jogos (1974/75 até 1987/88).



O FC Porto tem, segundo a última revisão realizada em 2005, cerca de 100 000 sócios pagantes. Sendo assim, é o 6º clube do Mundo com mais sócios pagantes (note-se aqui que os mouros levam a melhor com os seus 6 milhões e muitas centenas de milhares de kits vendidos).

Pinto da Costa é o Presidente com mais títulos a nível Mundial.


Sobre a grandiosidade do FC Porto em Portugal:



O FC Porto é o clube português com maior número de títulos no Futebol, contando actualmente 58 títulos oficiais (2 Taças Intercontinentais / Mundiais de Clubes; 2 Taças / Liga dos Campeões Europeus; 1 Taça UEFA; 1 Supertaça Europeia; 22 Campeonatos Nacionais de Séniores; 17 Taças de Portugal; 15 Supertaças de Portugal) contra 55 do Benfica e 41 do Sporting.



O FC Porto é o clube português com mais títulos internacionais (7), tem mesmo mais que todos os outros clubes portugueses juntos.



O FC Porto é o único clube pentacampeão nacional.



O FC Porto é o clube com mais Supertaças Nacionais conquistadas.



O FC Porto disputou 22 das 28 finais da Supertaça Nacional.



O FC Porto conseguiu, até hoje, fazer a "Dobradinha" por 5 ocasiões (1955/56; 1987/88; 1997/98; 2002/03; 2005/06), ou seja, ser Campeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal, na mesma época.



O FC Porto é o único clube português que conseguiu vencer na mesma temporada o campeonato e a competição Europeia onde esteve envolvido. Ainda por cima, fê-lo em dois anos consecutivos (2003 e 2004).



O FC Porto é o clube português com mais botas de ouro conquistadas (3).



O FC Porto contém nos seus quadros futebolísticos, uma das maiores referências da história do futebol português e particularmente do FC Porto, Vítor Baía. Actualmente, Baía é o jogador com mais títulos da história do futebol mundial, com 32. Atrás aparecem Pelé e Rijkaard com 25 cada um.



Tendo em conta um estudo da "FutureBand", uma empresa especializada em consultoria de marcas, o FC Porto é a marca mais valiosa do futebol português.



O estudo apresenta as 30 marcas da Europa mais cotadas e Portugal conta apenas com um representante, o FC Porto.



O estudo teve em conta factores, como: o valor das marcas, a lealdade dos adeptos, a capacidade de conseguir aumentar a venda de bilhetes para os jogos e o valor financeiro do clube.



Neste ranking de marcas europeias, o FC Porto ocupa a 1ª posição em Portugal e a 27ª na Europa.



O PORTO SOMOS NÓS!

Since 2007


Momentos

Futebol Clube do Porto.

Arquivo do blogue